segunda-feira, 22 de abril de 2013

Never Give Up - Capítulo 19


Seis e dez da manhã, primeiro dia de aula na faculdade e minha mãe gritando que eu vou me atrasar. E eu preocupada em não ser trolada no primeiro dia de aula. Sempre vejo que nos filmes que os alunos do mesmo curso mais da turma mais adiantada adoram pintar as caras dos "novatos" me levantei e tomei um banho, lavei os cabelos mesmo sabendo que eles poderiam voltar azuis, sequei com o secador, me troquei, passei apenas um lápis preto e um blush pêssego, peguei o violão e a bolsa e desci as escadas.
- Bom dia! - Eu disse para minha mãe e meu pai, eles tinham voltado o que era muito bom. 
- Bom dia filha! - Minha mãe disse e meu pai apenas acenou com a cabeça por estar com a boca cheia. 
Apenas me sentei e coloquei café em um xícara. 
- Preciso de carona, meu carro ta com o pneu estranho e ainda tem um pouco de neve nas ruas. - Eu reclamei. 
- Eu te levo filha! - Meu pai falou.
Terminei de tomar meu café e esperei meu pai quando deu seis e quarenta, saímos de casa. Não conversamos muito e hora ou outra eu estava abrindo a boca de sono. Meu pai parou em frente a faculdade e me desejou um bom primeiro dia de aula e eu agradeci com um sorriso. 
Sai do carro e me pus a andar. 
Caith? - Ouvi uma voz grossa me chamar e me virei para ver quem era já que a voz não era desconhecida e nem era a voz que eu queria ouvir me chamando daquele jeito. Quando me virei vi Logan. 
- É Caitlin! - Eu corrigi. 
- Desculpa... Eu tinha me esquecido que você começaria faculdade esse ano... Nossa faz muito tempo que não te vejo! - Logan disse. 
- É... Primeiro ano de faculdade . - Eu disse sorrindo sem emoção. 
- E Justin cadê? Passei as férias tentando falar com ele mas só dá na caixa de mensagens! - Ele disse. 
- Bem vindo ao clube! - Eu disse e voltei a andar. 
- Nossa... Vocês terminaram? - Ele me perguntou. 
- Não terminamos, mas terminamos... Ele apenas foi embora para outro lugar e só me deixou uma carta idiota! - Eu disse sendo grossa. 
- Nossa, eu pensei que vocês fossem se casar!- Logan disse sorrindo e andando ao meu lado. 
- Bem vindo ao clube mais uma vez! - Eu disse. 
- Faculdade do que você vai fazer? - Logan perguntou. 
- Música! - eu disse olhando para um papel onde estava escrito o numero da sala. 
- Ótimo! Então você será a minha mascote! - Logan disse e eu parei e fiquei olhando para ele. 
- Mascote? - Eu perguntei. 
- É só eu poderei te trollar! - Ele disse rindo. 
- Obrigada! - Eu disse fazendo careta como se eu tivesse entendi algo. 
Logan caminhou comigo até a sala de aula para que nenhum aluno pudesse me "adotar" e então entrei na sala de aula me sentando no fundo já que havia chego em cima da hora. Logan me jogou um risinho de lado e disse que voltaria no intervalo para me pegar antes que alguém pintasse meus cabelos e disse se alguém tentasse era para falar que eu era dele. 
- Claro! Eu vou dizer se caso algum idiota vir me pintar. "Desculpa eu sou do Logan "- Eu disse sendo irônica. 
- Ficou até legal a frase! - Ele disse me fazendo bufar. 
- Será que você poderia ser mais cavalheiro do que cavalo? Eu não sou qualquer garotinha não ! E essa frase tem dois sentidos. - Eu disse séria. 
- Eu sei que você é moça direita Caitlin, relaxa, só estou tentando te deixar mais relax...   - Logan disse e eu apenas acenei um tchau com a mão. 
O professor logo entrou e disse que as segundas-feiras, seriam aulas somente com ele. E seriam aulas teóricas e praticas em seguida. 
Ele disse que as primeiras aulas seriam de partituras e depois cada aluno teria que praticar em seu instrumento, ele passou dando um livro que eu julgaria ser maior do que os de direito e logo passou as paginas. Três aulas se passaram como se estivessem voando, não sabia ao certo se era o tempo que estava passando rápido demais ou se era porque eu estava interessada mesmo na aula. 
Continuei sentada em minha carteira. 
- Hey Caith... Vamos? - Logan disse entrando enquanto os alunos saiam. 
- Senhor , bom dia! Que ótimo a senhorita Beadles parece ser uma ótima moça- O professor disse sorrindo e eu fiz uma cara de "Que?" e ele logo saiu da sala. 
- Bom dia professor! - Logan disse ao professor.- Anda Caitlin, vamos se não você não vai conhecer o Campus. 
Logan já disse para não me chamar desse apelido... E sinceramente? Não estou afim! - Eu disse ainda lendo o livro. 
- Não esta afim? Mas vai vir! - Logan disse fechando meu livro e pegando na minha mão e me puxando para fora da sala.
Eu soltei a mão dele e continuei andando ao seu lado, um garoto que estava parado no corredor veio ao meu lado e passou o braço envolta da minha cintura e eu olhei assustada para ele. 
- Tudo bem gata? Novata não é? Podíamos... - Ele ia continuar  e Logan o empurrou. 
- Sai daqui seu idiota! - Ele disse rindo e me abraçando o que me fez olhar para ele com cara de "O que esta acontecendo aqui?". 
- Ow Logan foi mal cara! - O menino disse. 
- Mal não! Foi péssimo! - Logan disse fingindo estar bravo. 
- Muito gata! Tu sempre tem essa sorte! - O menino disse saindo de perto de nós. E eu fiquei olhando para Logan e andando. 
- O que foi Caitlin? - Logan perguntou, e eu tirei o braço dele de meu ombro. 
- Qual é o problema de vocês? - Eu perguntei. 
- Problema de vocês? - Ele perguntou. 
- É! Por que diabos todos estão me olhando como se eu tivesse algo com você. E por que diabos aquele garoto me abraçou e te pediu desculpas depois? - Eu perguntei. 
- Você é carne nova aqui Caitlin! E eu não ando com menina nenhuma aqui! Não em publico pelo menos! - Logan disse rindo. 
- E dai? - Eu perguntei. 
- E dai... Que eu tinha dito que minha namorada viria para essa faculdade esse ano. Mas eu terminei meu namoro no mês passado! - Logan disse. 
- E estão pensando que eu sou a sua namorada? - Eu perguntei incrédula. 
- Aquele idiota ali atrás pensou isso. Na certa! - Logan disse. 
- Aff! Você é popular aqui também! Que bosta! - Eu reclamei. 
- Sou! - Ele disse gargalhando. 
Logo continuou me mostrando a cantina, a quadra, o anfiteatro, as piscinas e as casas dos grupos do colégio, cada casa, um grupo de meninos ou de meninas. Nunca ambos juntos.
- Você faz parte de qual delas? - Eu perguntei. 
- De nenhuma! Eu tenho minha própria casa esqueceu? - Ele perguntou. 
- Sim! Ou melhor... Eu nem sabia Logan, eu nunca falei com você mais do que '"oi"e "tchau". - Eu disse. 
- Pensei que Justin falasse sobre eu! - Logan disse. 
- Não comigo! E quando ele tentava eu não dava bola e ele parava! - Eu disse. 
- Você não gosta de mim não é? - Ele perguntou sorrindo. 
- Não que seja isso... Eu não gosto de garotos populares que se acham! - Eu disse. 
- Me ofendeu senhorita Beadles! Eu sou bem legal! - Ele disse e uma garota loira parou em sua frente e deu um tapa na cara dele e eu arregalei meus olhos. 
- Cachorro! - Ela disse e saiu andando. 
- Bem legal! - Eu disse gargalhando do tapa que ele tomou. 
- Não! Isso não foi legal! - Ele disse. 
- Eu achei bem legal... E ela deve te achar muito legal também Logan! - Eu dizia gargalhando. 
- É digamos que a Stella tem um problema comigo! - Ele disse se defendendo. 
- É eu percebi mesmo! - Eu continuava a rir. 
- Não é que sua risada é bonita mesmo! - Logan disse sorrindo e eu respirei fundo.
- Quem vê pensa! Justin que disse isso não é? - Eu perguntei. 
- Sim, ele vivia falando sobre suas risadas, gargalhadas e essas coisas! - Logan disse. 
Logan... Se importa de não falar de Justin? - Eu pedi. 
- Desculpa... é que você sempre foi a namorada dele. É difícil não olhar para você e não lembrar dele. - Logan disse. 
- Eu sempre fui, mas não sou mais. Ele me pediu para encontrar outros caras... - Eu disse e logo coloquei a mão na boca olhando para os lados. 
- Relaxa só eu escutei você falando isso! E não vou sair falando para todo mundo que você é solteira! - Logan disse rindo. 
- Acho que você deveria dizer que sou solteira! - Eu disse dando um tapa nele e ele começou a rir. 
- Porque? Deixa os caras babarem em você achando que eu sou seu namorado. É legal isso! - Logan disse rindo. 
- Vê lá! Não quero saber dessa palavra tão cedo! - Eu disse e antes que ele falasse algo o sinal tocou. 
- Que mancada! Vou ter que comer só no almoço! - Logan disse resmungando. 
- Estamos empatados então! - Eu disse rindo. 
Logan voltou para sala de aula junto comigo rindo da cara dos garotos que olhavam para mim, e foi me mostrando cada pessoa e o que eram, qual curso faziam. Coisa de pessoa popular e não de nerd. Foi o que eu tentei explicar para ele, mas ele disse que todo musicista tinha que ser popular para conseguir privilégios na faculdade. Logan me deixou na sala e o professor sorriu para ele. Quando ele deu um beijo no topo da minha cabeça, já que ele muito mais alto do que eu. E eu dei um tapa na barriga dele e fechei a cara. 
O professor começou a aula novamente e todos faziam seus solos ao mesmo tempo.
- Senhorita Beadles... A senhorita é uma aluna muito talentosa sabia? - O professor disse. 
- Obrigada professor, mas acho que sou a mais nova nisso tudo! - Eu disse sorrindo.
- Sério? Você tem facilidade para entender as coisas... Mas acho que o senhor Logan te ajudou com essas coisas não é?- O professor disse. 
- Não professor! Eu ia cursar Arquitetura. O Logan é ou era o amigo do meu ex namorado! Eu nunca conversei com ele! - Eu disse. 
- Ele é um aluno muito bom. Eu pensei que vocês fossem... - O professor falava e eu cortei.
- Não... Não somos nada professor ele apenas me adotou como mascote para que ninguém pintasse meu cabelo de azul ou sei o que! - Eu disse rindo e o professor riu junto e voltou a andar pela sala de aula. Hora ou outra parava e ajudava os alunos a lerem as partituras.
Quando acabou a aula, seria a hora do trote, então Logan me pegou na sala de aula e me colocou dentro de seu carro. 
- Você não deveria me trollar? - Eu perguntei. 
- Deveria! Mas eu disse que faria isso com você mais tarde! Que estávamos atrasados para um almoço com meus pais. - Ele disse rindo. 
Logan! - Eu briguei. 
- O que? Se quiser ficar tudo bem por mim... Eu iria adorar pintar seu cabelo com tinta roxa e rosa! - Ele respondeu rindo. 
- Idiota! - Eu resmunguei. 
- Calma eu vou te levar para sua casa Caitlin! - Ele disse rindo. 
- Acho bom mesmo. Na verdade isso é bom porque estou sem carro. E nem sei quando meu pai vai mandar arrumar. - Eu reclamei. 
Seguimos caminho até minha casa, onde Logan me deixou e disse que me buscaria no outro dia para ir para a faculdade mesmo eu dizendo que não precisaria que meu pai levaria. 
No dia seguinte ele estava na porta da minha casa me esperando, e então a amizade com o idiota popular Logan  começou a crescer, ele fazia os meninos da faculdade pensar que eu e ele saia, quando ele me abraçava perto de algum menino bonito eu dava alguns soquinhos nele e falava que ele estava me queimando daquele jeito, e ele caia na risada. E então foram se passando semana após semana. Ele sempre me chamava para as festas mais eu nunca ia com ele, preferia ficar na minha casa da montanha nos finais de semana e lembrar de Justin, por mais que Logan tivesse parado de falar dele perto de mim, era como se eu nunca esquecesse dele. Todos os casais que eu via eu lembrava de Justin. E era de lei eu sempre ficar na sacada daquela casa, olhando para o céu estrelado, com a camiseta preta de Justin e abraçando um travesseiro com o perfume de Justin. Era normal eu chorar o sábado inteiro, e metade do domingo. E na segunda-feira fingir que o final de semana tinha sido muito bom. E um mês de faculdade já havia se passado. E então no sábado de manhã meu celular tocou e mesmo o numero sendo "Privado"  eu atendi.
- Alô? - Eu respondi. E não recebi resposta nenhuma. - Hey... não vai responder? - Eu perguntei novamente e nada. 
- Muito legal acordar uma pessoa no sábado de manhã e não falar nada. Olha só se for você sua hiena idiota eu vou te socar segunda feira. - Eu resmunguei e briguei caso fosse Logan e então escutei uma respiração profunda. 
Justin? - Eu perguntei reconhecendo o modo que a pessoa soltou o ar e então a pessoa desligou. 
Me levantei e olhei para o relógio que marcavam nove e quinze da manhã, liguei para Logan. 
- Alô? - Logan atendeu. 
Logan por acaso foi você quem me ligou a poucos minutos atrás sem querer? - Eu perguntei. 
- Não! Ta louca? Eu estou dormindo Caitlin! - Ele reclamou. 
- Ta bom hiena volta a dormir então! - Eu disse.
- Se você me deixar eu vou dormir mesmo senhora grosseria em pessoa. - Logan disse. 
E então eu desliguei e fiquei pensando em quem poderia ser, não podia ser Justin não depois de mais de um mês. 
Desci as escadas e me joguei no sofá onde passavam desenhos irritantes, quando deu onze horas da manhã minha mãe acordou e nem reparou que eu estava deitada. E só então quando deu meio dia e o jornal estava passando que minha mãe gritou para que eu pudesse descer para almoçar foi que ela percebeu que eu estava na sala. E quem desceu as escadas foi meu pai com a cara amassada de sono. 
- Ué caiu da cama filha? - Meu pai perguntou. 
- Não! Fui acordada por alguém que me ligou e apenas ficou escutando minha voz! - Eu reclamei.
- Sério? - Minha mãe perguntou. 
- Sim! Acho que pode ser ... - Eu comecei a falar e meu pai cortou. 
- E ai o que vamos fazer hoje? - Ele perguntou me fazendo fazer uma careta por ser cortada. 
- Não sei, mas vamos almoçar primeiro. Vamos os dois para mesa! Já!  - Minha mãe brigou para irmos.
Almoçamos e meu pai conversava sobre o que queria fazer naquele sábado que estava bem e sem cansaço da empresa, é meu pai faltou depois de anos no trabalho, eu disse que não estava muito afim de sair mais meus pais me obrigaram a sair com eles e eu nem sabia para onde. Subi e troquei de roupa e logo saímos de casa. 
- Pai onde vamos? - Eu perguntei. 
- Patinar! - Meu pai disse. 
- Patinar? E o senhor consegue se equilibrar nos patins com esse bebezinho na sua barriga?- Eu perguntei rindo. 
- Ai como minha filha é engraçadinha! Sei que fazem anos que eu não patino, mas essa barriga aqui não me impede de nada! - Meu pai disse rindo. 
- Vocês se lembram como se patina ainda ou eu vou ter que ensinar novamente? - Minha mãe perguntou. 
- Eu sei! Apesar de fazer muito tempo que eu não faço isso! - Eu resmunguei. 
- Eu sou profissional garotas! - Meu pai disse e nos fez rir. 
Quando chegamos na pista de patinação, alugamos os patins e os calçamos, meu pai e minha mãe entraram na pista de mãos dadas. E o meu pai dizendo que era profissional hora ou outra perdia o equilíbrio e quase caia. Eu fiquei olhando os dois patinarem e só entrei quando meu pai tomou um tombo caindo de bunda no chão.
- Profissional! - Eu entrei patinando normalmente, tirando sarro dele e ajudando a minha mãe a levantá-lo. 
- Todo profissional já caiu! - Meu pai disse fazendo careta. 
- Anram, sei! - Eu disse ajudando ele a ficar em pé.
- Então vai em frente e me mostre que você não cai também! - Meu pai disse rindo. 
- Então aprende com a sua filha aqui! - Eu disse rindo e comecei a correr com o patins. 
Corri e depois deslizei no gelo, hora ou outra eu dava pequenos giros e olhava para meu pai, eu fiquei patinando e olhando os casais, em dois anos e meio de namoro com Justin nós nunca tínhamos patinado juntos, e aquilo ali em meio de casais pareceu muito mais romântico do que parecia ser. Senti uma pequena dor no coração em não estar perto dele e então sai da pista e me sentei em um banco, tirei os patins e coloquei o tênis novamente. E apenas fiquei olhando para meus pés com uma vontade louca de chorar toda a falta que Justin estava me fazendo. Então escutei uma voz conhecida se sentando ao meu lado e rindo.
- Hey! Não sabia que você patinava tão bem! - Logan disse e eu olhei para ele com os olhos vermelhos mas sem lagrimas. 
- Oi hiena! - Eu apenas cumprimentei, respirando fundo para não derramar as lagrimas que queriam cair. 
- A para de me chamar desse animal! - Ele brigou. 
- Porque? Você só da risada de tudo. É um apelido até que bonito para você! - Eu disse rindo. 
- É mais hiena é um animal carnívoro e estranho! E opa... Eu vi um sorriso? - Ele disse e eu balancei a cabeça rindo em negativo. 
-  Você realmente é um idiota! - Eu disse olhando para ele. 
- Eu sei que não sou seu amigo de anos e tudo mais... Mas quer conversar Caitlin? - Logan perguntou. 
- Conversar sobre o que?- Eu perguntei.
- Sei lá, o porque você saiu de repente da pista de patinação e se sentou aqui e estava quase chorando. - Logan disse e eu bufei. 
- Alguém me ligou hoje, as nove e pouco da manhã... Foi por isso que eu te liguei para saber se era você. - Eu disse olhando para frente onde meus pais patinavam e sorriam. 
- Você acha que possa ser o Justin né?- Logan perguntou. 
- Não sei... Eu realmente não sei. Mas eu me sentei porque ele me faz muita falta Logan! - Eu disse me desabafando. 
- Eu sei que ele te faz falta Caitlin, vocês namoraram muito tempo. E eu sei que tentar fingir que nada aconteceu na sua vida é difícil. - Logan disse olhando para frente também.
- É! Muito difícil! - Eu resmunguei e torci os lábios.
- Que tal sairmos hoje? Para você esquecer de tudo isso e conhecer pessoas novas? - Logan sugeriu. 
- Acho que não! - Eu disse. 
- E porque não? Vai ficar no seu quarto trancada chorando por alguém que foi embora e que nem deu noticias para saber como você esta? - Logan disse em um tom irritado. 
- Isso já não é da sua conta ! - Eu disse brava e cruzando os braços na altura dos seios. 
- Não, não é... Mas eu não quero te ver mal! Então eu vou passar na sua casa as oito e meia! - Logan disse sorrindo e eu apenas dei os ombros virando o rosto pro lado contrario onde ele estava. 
- É sério Beadles! 
- E onde vamos? - Eu perguntei. 
- Em um barzinho com karaokê o que acha? - Ele disse. 
- Não vou cantar! - Eu disse. 
- Então podemos ir em alguma balada. 
- Quando decidir onde vamos você me liga para avisar! - Eu disse olhando para ele. 
- Então ta bom senhorita Caitlin Beadles! - Logan disse sorrindo e se levantando e dando um beijo no topo da minha cabeça. 
- Hey! Não é só porque vamos sair que você tem o direito de beijar minha cabeça! - Eu reclamei e ele gargalhou. 
- Menina grossa! - Ele brigou. 
- Sou mesmo! - Eu disse. 
- As oito e meia então! - Ele disse. 
- Ta bom! - Eu confirmei e ele caminhou de volta para a pista de patinação na qual eu nem havia percebido que ele estava. 
Meus pais não demoraram muito e saíram da pista, meu pai dizendo que estava com fome e minha mãe rindo. 
Fomos até uma lanchonete e comemos. 
- O que acham da gente ir jantar em um restaurante hoje a noite? - Meu pai sugeriu. 
- Eu vou sair! - Eu disse normalmente.
- A você não vai até aquela casa ficar chorando ... - Minha mãe começou a dizer e eu interrompi. 
- Vou sair com Logan mãe! - Eu disse. 
- Que ótimo! Isso é muito bom... Logan é um ótimo rapaz! - Minha mãe disse. 
- Er... não! Não é isso que a senhora esta pensando não. Eu hein! - Eu reclamei. 
- Se não então o que vão fazer? - Meu pai perguntou. 
- Ele me chamou para ir em uma festa ou barzinho. Apenas para não ficar sozinha. - Eu disse. 
- Esta vendo esse menino se preocupa com você! - Minha mãe disse. 
- Se preocupa nada não! - Eu reclamei.
- Que seja, amor você vai comigo em um restaurante? - Meu pai chamou minha mãe e ela sorriu e assentiu com a cabeça. 
Ficamos conversando e terminando de comer, quando eram quase seis horas resolvemos ir para casa, cheguei subi para meu quarto e fui atras de uma roupa para sair com Logan, calça jeans, blusinha e um jaqueta de couro preta, botinha sem cano vermelho. Pronto essa seria minha roupa para sair. Já que não sabia onde iríamos, entrei no banho e quando sai, sequei os cabelos e os deixei solto.  Me troquei e então mais uma vez meu celular tocou com o mesmo "Privado" e eu atendi.
- Alô? - Eu disse e o mesmo silencio permaneceu então me sentei na cama e comecei a chorar. 
- Sabe... Hoje eu passei o dia com os meus pais e o dia inteiro eu fiquei pensando em meu ex namorado. - Eu continuei dizendo para o silencio. - E eu acho que eu deveria estar fazendo o que ele pediu. Mas sinceramente? Eu não sei o que fazer. Eu não sei o que ele esta fazendo, ou o que ele esta sentindo. Mas o que eu queria mesmo era que ele soubesse que eu ainda estou esperando por ele. E que hoje eu decidi fazer o que ele me pediu. Mas eu sei que serei sempre dele. - Eu terminei. 
Caitlin... Tem um carro te esperando lá fora! - Minha mãe disse entrando em meu quarto e me viu com o celular sentada em meio a choros então deu passos largos em meu encontro e pegou o celular de minha mão. - Alô? Olha aqui... Esta sendo mais dificil para ela, ter que tentar seguir em frente e por Deus... Justin se for você, pense no que você pediu para ela e deixe-a tentar viver. Se você realmente a ama mesmo, para com isso e deixa ela tentar viver. - Minha mãe disse. 
- Não mãe! - Eu disse pegando o celular de sua mão e escutando apenas um choro. - Justin? Não! Não ligue para mim mãe. Eu te amo!- Eu disse. 
- Me desculpe! Eu só precisava escutar sua voz mais uma vez! - Ele disse. E sim era Justin e eu respirei fundo. 
- Como você esta? Onde você esta? - Eu perguntei. 
- Desculpa Caith... Sua mãe esta certa, eu preciso te deixar viver! - Ele disse. 
- Você sabe que não existe vida sem você comigo! - Eu disse. 
- Eu te amo Caith... E um dia poderá ser nós dois novamente. Desculpa! - Ele disse e desligou.
Eu olhei para minha mãe e balancei a cabeça em negativo e então joguei o celular na parede com força. 
- A senhora não tinha esse direito mãe! - Eu falei em um tom mais alto. 
- Eu tenho todo o direito sim Caitlin! Ele te deixou, ele terminou com você por uma carta. Ele te pediu para ser feliz! E ele fez esse pedido e não esta ajudando! - Minha mãe disse brava no mesmo tom.
E eu deixei as lagrimas caírem apenas. Peguei minha bolsa e sai do quarto, desci as escadas correndo, abri a porta e corri até o carro de Logan. Abri a porta e me sentei no banco do passageiro. 
- Oi! - Ele disse e me viu colocar as duas mãos sobre o rosto e começar a chorar. - O que houve? 
- A minha mãe! - Eu comecei a falar e soluçar. - Justin me ligou e ela simplesmente acabou com isso! - Eu disse. 
- Seca as lagrimas ta? Vamos esquecer isso! - Logan disse me olhando. 
- Eu nunca vou esquecer isso Logan! - Eu disse secando as lagrimas. 
- Eu te ajudo ta? - Ele disse e eu apenas balancei a cabeça positivo. 
Ele saiu com o carro, e então começou a andar por Atlanta enquanto eu olhava as luzes e deixava cair as lagrimas. Ele parou em um barzinho que tinha a bandeira do Brasil na frente. 
- Chegamos! - Ele disse sorrindo. 
- Barzinho brasileiro Logan? - Eu perguntei. 
- Sim! Eu conheci no ano passado quando um dos professores começou a passar sobre a música brasileira. E então me apaixonei! - Ele disse. 
- Você sabia que eu sou brasileira? - Eu perguntei, passando a mão sobre o rosto e tirando os vestígios de lagrimas.
- Não, você é? - Ele perguntou. 
- Sou! Minha mãe é brasileira, meu pai é americano! - Eu disse. 
- Isso é o que eu chamo de surpresa! - Ele disse rindo. 
- Você entende algo? - Eu perguntei.
- Sim! Faço curso desde o ano passado. - Ele disse. 
- Que bom! - Eu disse rindo. 
- E você? - Ele disse saindo do carro e me fazendo fazer a mesma coisa. 
- Fluentemente! - Eu disse. 
- Faz quanto tempo que você mora aqui em Atlanta? - Logan perguntou curioso. 
- Sim! Eu nasci no Brasil, mas nós viemos para Atlanta quando eu tinha 2 anos de idade. Mas todo ano eu ia para a casa da minha avó. Até ela falecer. Faz acho que quase três anos que não vou para o Brasil. - Eu disse. 
- Foi quando você conheceu o Justin né? - Logan perguntou e eu respirei fundo.
- Sim! - Eu disse. 
- Ta desculpa, não vou falar sobre ele mais! Vem vamos entrar.. - Logan disse me puxando pelo braço. 
Nós entramos e aquela noite era noite de Karaokê, pessoas animadas cantavam, dançavam e tudo mais nos sentamos no balcão. 
- Vê uma cerveja para mim! - Logan pediu em português e eu ri em ouvir ele falando português com sotaque americano. 
O rapaz entregou a cerveja para ele, e me olhou. 
- Quero uma caipirinha de abacaxi! - Eu disse sorrindo naturalmente. 
- Vodka ou pinga? - O atendente perguntou.
- Vodka e tem como você deixa-la mais doce? - Eu pedi e ele assentiu com a cabeça. 
- Caipirinha? - Logan perguntou. 
- Nunca tomou? - Eu perguntei. 
- Não! Não sei o que é muito bem, então nunca pedi! - Logan conversava comigo em inglês.
- É vodka, suco de fruta, gelo e açúcar! - Eu disse rindo. 
- Vou experimentar a sua! - Ele disse. 
- Não senhor! Se quiser vai ter que pedir uma. A minha é de abacaxi, você vai gostar mais da de limão! - Eu disse.
O rapaz logo serviu meu copo de caipirinha, e Logan fez o que tinha dito, experimentou. E tomou alguns tapas pelas conversas bobas, to tipo o corpo de uma americana para o corpo de uma brasileira. 


- Hey! - Eu chamei a atenção dele. - Eu sou brasileira! - Eu disse rindo. 

- A é! - Ele disse rindo mais ainda. - Vai levanta e dá uma voltinha quero ver se você puxou mais pro seu pai ou pra sua mãe! - Ele disse e eu me levantei e dei uma voltinha. 

- Eu não tenho corpo de brasileira! - Eu disse me sentando novamente. 
- Tem sim! - Ele disse com as sobrancelhas arqueadas. - Como é que eu nunca reparei nesse seu corpão Caitlin? - Ele perguntou. 
- Porque eu nunca dei motivo algum para você reparar! - Eu disse rindo.

Continuamos bebendo e conversando coisas sobre o Brasil, e depois falamos sobre os relacionamentos dele e então ele resolveu ir cantar no karaokê. E eu fiquei sentada rindo dele cantando uma música brasileira. Quando acabou ele se sentou ao meu lado. 
- E ai gostou? - Ele perguntou.
- Nada mal para um americano! - Eu disse rindo. 
- Faça melhor então! - Ele disse. 
- Não vou cantar! - eu disse. 
- Então é porque não canta melhor em português do que eu! - Ele desafiou. 
- Duvida?- Eu desafiei. 
- Duvido! - Ele disse. 
Eu me levantei e fui até o karaokê e escolhi uma música da Paula Fernandes - "Navegar em mim" já que Logan duvidou que conseguia cantar uma música brasileira. Nada melhor do que sertanejo. 
No meio da musica Eu tirei o olho da tela e olhei para Logan que estava com os olhos arregalados e sorri. E então continuei a cantar, eu queria fazer o que estava cantando, anular as promessas feitas e desfazer o sonho de amor que eu tinha por Justin, mas eu não faria isso. Eu poderia fingir fazer aquilo, por que eu sabia que eu era nova demais e que precisava continuar vivendo. Me empolguei e comecei a cantar sem olhar para a tela do karaokê As pessoas estavam contagiada com aquilo, e eu sabia agora como Justin se sentia em cima do palco era incrivel.
Quando acabou a música todas as pessoas bateram palmas e então eu desci daquele pequeno palco rindo da cara de Logan. 
- E então? - Eu perguntei. 
- Sério que eu não sabia o quanto o palco tinha sido feito para você! - Logan disse. 
- Olha a mentira! - Eu disse rindo. 
- Sério Caitlin, você nasceu para o palco, você contagia as pessoas. E sua voz é linda! - Logan disse. 
- Eu nunca achei minha voz linda! Justin que dizia que eu devia cantar mais... Mas nunca achei isso uma opção! - Eu disse rindo.
- Sortudo sempre foi o Justin por escutar você cantando! - Logan disse sorrindo. 
- Acho que sorte é a palavra! - Eu disse abaixando minha cabeça. 
- Desculpa. Não queria fazer você lembrar dele assim! - Logan se desculpou. 
- Não precisa se desculpar Logan! Eu estou bem... Apenas meio mal, por escutar ele dizendo que me ama. E que quer que eu siga a minha vida! - Eu disse olhando para o frente no bar e pedindo uma outra caipirinha. 
- Ele te disse que te ama? - Logan perguntou.
- Sim! E disse que minha mãe estava certa de falar para ele me deixar em paz! - Eu disse.
- Eu sei que você gosta dele Caitlin, mas acho que você tem que aproveitar um pouco mais a sua vida. Olha tem vários rapazes te olhando, te desejando. - Logan disse apontando para alguns rapazes e então eu gargalhei. 
- Não consigo desejar nenhum Logan! - Eu disse rindo. - Chega de tentar arrumar rapazes, olha a mulherada ta querendo cair em cima de você. Acho que vou dar um role. - Eu disse rindo e me levantando. 
- Nada disso! - Ele disse me puxando pelo braço e encostando nossos corpos. E eu senti algo estranho. - Você vai dançar comigo. - Ele disse. 
- Piada do ano! - Eu disse empurrando ele. 
- Não é piada! Você é brasileira, e esta tocando sertanejo. Você vai dançar comigo sim! - Logan disse me puxando para a pista onde alguns casais dançavam. 
- Eu não sei dançar Logan! - Eu menti. 
- Eu sei que você sabe! - Ele disse passando um braço por trás de minha cintura e pegando minha mão com a outra mão. Então começamos a dançar no ritmo sertanejo agitado que estava tocando. 
- Olha para um gringo você dança bem! - Eu disse rindo.
- E para quem disse que não sabia dançar, esta me fazendo pastar aqui! - Ele disse rindo e me fez rir e então acabou a música e eu o empurrei rindo e voltando até o balcão. 
Continuamos bebendo e conversando e quando percebemos que estávamos bêbedos demais, Logan disse que estava na hora de irmos embora. Saímos rindo de tudo de pequenos tropeços até de coisas mais sérias. Logan foi dirigindo já que eu estava pior do que ele. Ele parou em frente minha casa. 
- Acho que a mãe de alguém vai querer me matar. Até porque você ainda é menor de idade! - Logan disse. 
- Ninguém notou isso! - Eu disse rindo. 
- É não notou mesmo! - Logan disse. 
- Tchau Logan! - Eu disse abrindo a porta do carro e ele segurou minha mão e me puxou me dando um beijo em minha bochecha demorando um pouco.  
- Tchau Caitlin! - Ele disse sorrindo e soltando meu braço, eu olhei para ele sem entender, ele nunca tinha dado um beijo em minha bochecha ainda mais daquele jeito. Sai do carro e segui para minha casa. 
Entrei e minha mãe estava na sala eu apenas subi, deixando ela fazendo perguntas do tipo "Onde foram?", "Por que chegou tão tarde?", " Você esta bêbada?", ignorei todas as perguntas e subi para meu quarto trancando a porta. Bufei infinitas vezes me xingando mentalmente. Tirei a roupa e fui para o banho, abri o chuveiro e encostei minha cabeça na parede e mais uma vez a cena de Justin me perguntando aquelas coisas um dia antes de ir embora voltou para meus pensamentos, mais de um mês depois do termino da relação, e ele ainda me liga para dizer que me amava. Sai do banho e era como se a voz de Justin não saísse de minha cabeça.
"Me promete, que irá tentar ser feliz com outro cara..." Balancei a cabeça em negativo tentando espantar aquela ideia, aquela frase de Justin.
 E a voz dele mais cedo no telefone veio novamente 
"Me desculpe! Eu só precisava escutar sua voz mais uma vez!" .
Me deitei em minha cama ainda de toalha
 "Eu te amo Caith... E um dia poderá ser nós dois novamente. Desculpa!"
Eu não sabia em que pensar, se eu continuaria com a ideia de tentar ser feliz e tentar esquecer Justin, ou se eu ficaria enterrada nos momentos que passei com ele. E então a minha única escolha foi. "Seja feliz, curta, beba, beije... Mas quando ele aparecer novamente. Deixe tudo isso e mostre que você sempre será dele!" Escutei minha própria voz dizer em minha mente. Era isso, eu iria vive do jeito que ele me pediu, mas eu seria dele, se ele aparecesse novamente. Eu não iria esquecer ele, apenas deixaria guardado todos os momentos que passei com ele. Eu mostraria para todos no final de tudo que mesmo se eu tentasse eu não conseguiria viver sem Justin Bieber.
Acordei do jeito que havia deitado, enrolada na toalha, com o travesseiro encharcado por conta dos meus cabelos estarem molhados. Olhei para o relógio que mostrava ser duas da tarde. Me levantei e me vesti, logo desci para a cozinha. Onde tinha um bilhete de minha mãe dizendo que a lasanha estava na geladeira que era para eu esquentar no micro-ondas. Fiz um prato com lasanha e salada, e voltei para meu quarto, me sentei em frente ao computador e resolvi entrar nas redes sociais que a muito tempo não entrava, meu relacionamento havia mudado para solteira, por conta de Justin que devia ter mudado o dele e automaticamente mudará o meu. Entrei no perfil dele e não dizia nada de onde ele estava, nenhuma foto. Apenas um álbum fechado que a capa era eu e ele. Os outros álbuns era dele com família, tocando e essas coisas.  Fotos que eu já conhecia. 
E a ultima atualização era depois dele ter me ligado e dizia "Te deixarei livre e o tempo mostrará se "nós" é o que terá que ser para o sempre. Eu sinto sua falta a todos instantes." E o status de relacionamento dele estava escrito "You are the music in me." Eu sabia que era eu. Atualizei o meu status para a mesma frase dele. E tirei uma foto com a webcam da minha pulseira. E coloquei a frase novamente na legenda da foto. " Você é a musica em mim, você é os meus sorrisos, minhas lagrimas, meu ar. E eu te esperarei. " E então depois comecei a ver as paginas de festas das casas do Campus da faculdade e vi que tinha uma festa para ir. Marquei o nome da casa e sai de todas as redes sociais. 
Comecei a separar uma roupa para a tal festa em uma das republicas do Campus, e estava escrito que começaria as seis horas. Então olhei para o relógio que já marcava quatro horas, tomei um banho e me troquei. Chamei um taxi quando era seis e dez, e passei o endereço para o taxista. Desci do taxi e entrei na festinha, liberada por um dos meninos que correu os olhos por meu corpo e liberou minha entrada na casa. Encontrei uma amiga que não via desde a formatura e gritei ela. 
- Cloe? - Eu gritei em uma pergunta e ela gritou. 
- AAAAA Caith! - Ela disse dando pulinho e me abraçando! 
- Como você esta? - Eu perguntei.
- Bêbeda eu acho! - Ela disse rindo.
- Mais já?- Eu perguntei.
- Acho que sim. E cadê Justin? - Ela perguntou. 
- Terminamos! - Eu disse torcendo a boca. 
- Que chato amiga! - Ela disse fazendo cara de triste. - Vem vamos pegar algo para beber, quero te apresentar alguns meninos. - Ela disse me puxando.

Fomos até a cozinha ela pegou cerveja e começamos a beber e conversar, contei o que havia acontecido e ela disse que Justin era um idiota por ter feito isso, mas que não mais idiota do que o ex namorado dela. Ficamos bebendo sentadas e eu me sentia alegre demais, rindo de tudo que Cloe contava, disse que estava cursando moda em uma faculdade da cidade visinha mas que mudaria para aquela faculdade. Sem perceber um garoto segurou em minha cintura e me beijou e eu apenas o beijei normalmente, mas pensando em quem seria o garoto quando paramos ele separou nossos lábios e disse. 
- Oi! - O garoto disse e sorriu.
- Oi! - Eu disse não entendendo nada e ele me beijou novamente. 
- Você tem um beijo gostoso! - Ele disse e saiu andando. 
- Obrigada! - Eu disse ainda boba por ter acontecido aquilo. 
- Olha só! Quem diria que eu veria você beijando outro garoto! -Cloe disse rindo. 
- Eu não beijei ele... Ele que me beijou! - Eu disse dando um tapa no braço dela. 
- Mas parece que foi bom o beijo! - Ela disse rindo
- É parece que foi! - Eu disse rindo. - Que louco! - Eu disse. 
- Vem vamos dançar! - Cloe disse me pegando pelo braço e quando levantei vi tudo rodar. 
- Quantas cervejas bebemos Cloe? - Eu perguntei. 
- Sei lá, umas cinco cada? - Ela disse rindo mais do que o normal. 
- Acho que estou bêbada! - Eu disse sentindo tudo ficar embasado. 
- Bem vinda ao meu jeito de ser então! - Ela disse rindo.  
Começamos a dançar e cantar uma música ou outra que tocava, um outro garoto beijou Cloe e eu apenas fingi que não me importava me virando para o lado e rindo. Quando virei novamente para Cloe ela estava limpando a boca e rindo. 
- Hey eu já venho! - Cloe disse. 
- Onde vai? - Eu perguntei. 
- É ... Quer vir junto? - Ela perguntou. 
- Quero! Vai que outro doido me agarre! - Eu disse rindo. 

Fomos andando até a piscina daquela republica e tinham algumas meninas e dois meninos sentados. 
- Oi gente, essa aqui é a minha amiga Caitlin! - Cloe me apresentou. - Caitlin, esses são meus amigos da faculdade! - E terminou. 
- E ai quer? - O garoto me ofereceu um cigarro. 
- Não valeu, não fumo! - Eu disse sorrindo ou pelo menos pensando que estava sorrindo. 
- É muito melhor do que cigarro! - Uma garota disse e passou para Cloe. 
O cheiro era estranho, mais recusei de primeira, um dos garotos foi até a cozinha e trouxe alguns copos e com uma garrafa de vodka e de Coca-Cola. A famosa Cuba. 
- Olha aqui isso aqui é legal! - Uma das meninas disse me passando uma latinha e segurando. 
- O que é isso? - Eu perguntei.
- É lança! - Cloe disse. - O efeito é somente o tempo que você segurar. - Ela disse baforando a latinha. - Toma Caitlin, não precisa ficar com medo. Não faz mal isso! - Ela disse rindo mais do que o normal. 
E então fiz a mesma coisa que Cloe, puxei o ar que estava na latinha, que veio com gosto de tuti-frut e segurei e então abri os olhos e tudo parecia andar em câmera lenta a música que tinha a batida forte se transformou em "Pum ... Pum" e então eu comecei a rir que nem louca. As risadas pareciam ser lentas e as vozes pareciam ser bem fracas. O efeito passou, se eu pudesse dizer ao certo diria 5 minutos. E então novamente continuamos usando, e bebendo. Uma das meninas acendeu um cigarro e pediu para que eu segurasse. E então eu traguei. - E dai? Eu nunca usei nada disso. As pessoas não falam que eu tenho que viver? Vou experimentar mesmo! - Pensei comigo. Eu já estava bêbada demais, como se não bastasse não é? Mas eu estava me divertindo. 
- Olha só uma nova fumante! Fuma esse aqui.. - Um dos meninos disse e me deu o outro cigarro eu peguei o cigarro da mão dele meio mole demais, e comecei a fumar.  E então era como se tudo aquilo ali estivesse ficando mais colorido era como se meu corpo estivesse ficando relaxado. Um dos meninos me abraçou e me colocou encostada na arvore e começou a beijar meu pescoço. Cloe viu e me puxou dele. 
- Ta louco? - Ela disse brigando com ele. 
- E ai Cloe? - Ele perguntou se surpreendendo. 
- Ela não é pro teu bico! Ela merece homem muito melhor! - Cloe disse andando comigo. E deu algumas notas para o outro rapaz. E pegou alguns saquinhos. 
- O que foi Cloe? Estava legal lá! - Eu disse bêbeda. 
- Eu sei Caith... Mas já esta na hora de irmos embora! - Cloe disse rindo. 
- Ta bom! - Eu disse fazendo bico. 


Continua


4 comentários:

  1. CONTINUUUUUA! TA PERFEITO! só não coloca essas letras azuis clarar, não da para ler direito ! :) Desculpe a demora, tinha perdido o link ! kisses @Prince_of_Swag me avisa no tt ?

    ResponderExcluir
  2. #crying cap triste esse de agora :'(
    But, tá perfeito, continua amg, é coloca não as letras azuis claras que complica um pouquinha pra ler =/
    Mais CONTINUA, as vezes vou ficar alguns dias sem comentar pq mudei de casa e meu padrasto pediu agora a net e as vezes nao funciona e eu entro pelo cel, ooks?
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. cara continua! @1DeJB

    ResponderExcluir